Plano de saúde compulsório ou livre adesão: veja qual escolher

#Plano de Saúde

Banner principal

por
webfoco

É fato que entre os benefícios trabalhistas considerados mais importantes, o plano de saúde empresarial acaba se destacando. Até porque é algo extremamente importante para todos, afinal, os funcionários precisam estar cientes de como está a saúde, por exemplo. Principalmente para quem tem tendência a problemas crônicos.  

No entanto, há diversas opções e variáveis que colocam uma dúvida na cabeça no momento da contratação. Por exemplo: optar pelos planos compulsórios ou livre adesão? 

Acompanhe a leitura e veja perspectivas sobre a contratação de cada modalidade, para orientar sua decisão!

Plano de saúde compulsório

Trata-se de uma modalidade de produto em que é obrigatória a inclusão de todos que participam da organização. Este tipo de plano atende a qualquer pessoa jurídica, por isso vale muito a pena. 

Engloba diretores e sócios, visto que eles estão no contrato social e no FGTS. Por conta de incluir qualquer funcionário e às vezes seus dependentes, o plano empresarial de saúde compulsório é mais econômico para a empresa.

Inclusive, não deixa que pessoas entrem no pacote devido a uma necessidade particular, como cirurgia pontual.

Plano de saúde com livre adesão

Aqui, os funcionários são livres para aderir ou não ao plano. Com isso, fica muito mais acessível e satisfatório para todas as necessidades de todos os funcionários, por exemplo, ações específicas que precisam para tal doença. 

Normalmente, ao optar pelo plano com livre adesão, os colaboradores arcam com uma porcentagem maior das mensalidades ou até mesmo com a integridade delas.

Em contrapartida, a operadora pode ter mais custos, caso os funcionários usem serviços da rede credenciada com frequência. Portanto, a aplicação de carência nesses produtos é bem importante.

Por considerar um número maior de pessoas, o período de carência tende a diminuir consideravelmente, chegando a zero em certos casos. 

E aí, qual a modalidade ideal para a sua empresa?

Já entendemos cada modalidade e sabemos que a contratação de um plano de saúde para empresas, seja compulsório ou livre adesão, é crucial para a retenção de talentos. Com base nisso, dá para organizar para que todos possam ser beneficiados de formas igualitárias, porém com planos diversificados. 

Agora, é hora de analisar pontos para saber qual escolher. Claro, tudo fica ainda mais fácil com uma corretora de saúde, como a Piwi, que descomplica os processos que abordaremos.

Primeiramente, avalie o perfil de seus colaboradores. Qual seria o impacto no processo de atração caso o plano ofertado fosse de livre adesão com pagamento realizado pelo titular? Outro ponto essencial é entender se as pessoas já possuem benefícios individuais. Nesse caso, faz-se mais interessante a contratação de um plano com livre adesão mesmo.

Importante é entender a vontade do seu time, fator decisivo na escolha da modalidade mais adequada. Isso porque o plano compulsório exige 100% da inclusão de sócios e colaboradores. A vantagem para a empresa é que pode representar uma economia de até 15% ao fim do mês, quando comparado com o produto de livre adesão.

A sinistralidade é mais um aspecto relevante quando o assunto é previsibilidade no orçamento. No plano de livre adesão, ela não é calculada por pessoa, mas pelo conjunto dos segurados. O que acarreta em uma organização ainda mais específica e certeira, para todos. 

Desse modo, mesmo caso a utilização do pacote pela sua equipe seja alta, o reajuste costuma ser diluído para toda a carteira. O reajuste de ambas as modalidades é combinado no ato do contrato.

Finalizando

Fato é que o plano de saúde empresarial se torna cada vez mais promissor. É um benefício de excelente custo-benefício e repleto de opções. Basta escolher pôr o que melhor se enquadra na realidade da sua empresa.