O que é absenteísmo? Confira a importância de acompanhar esse indicativo

#Business

Banner principal

por Piwi

Você sabe o que é absenteísmo? Talvez não use essa expressão, mas se trabalha com recursos humanos certamente sua empresa já deve ter sofrido com ele, já que significa a ausência recorrente de certos colaboradores.

Alguns gestores enxergam a conduta como falta de disciplina, quando, na realidade, existem vários motivos que podem levar um indivíduo a se ausentar do trabalho repetidamente. Descubra, com as informações que trouxe neste post, quais são eles, além de entender como calcular, controlar e melhorar essas taxas.

Os principais tipos de absenteísmo

Agora que você já sabe o que é absenteísmo, é hora de entender seus dois tipos. Trata-se de uma informação muito relevante para o gestor de recursos humanos, pois essa classificação pode revelar quais os problemas enfrentados pelo colaborador e se eles estão relacionados ou não às suas atividades dentro da organização.

Absenteísmo relacionado à empresa

Desencadeado por fatores sociais, culturais, organizacionais e/ou psíquicos, geralmente engloba dois tipos:

  1. compulsório: como uma suspensão;
  2. patologia profissional: doenças ocupacionais, como a lesão por esforço repetitivo — a famosa LER.

Absenteísmo pelo empregado

O absenteísmo pelo emprego subdivide-se em 3 tipos:

  1. faltas voluntárias: razões particulares e não justificadas que podem levar à penalização do empregado por meio do desconto na remuneração, no banco de horas ou perda do adicional de assiduidade;
  2. faltas por doença: quando o colaborador apresenta atestado médico;
  3. faltas legais: ausências de direito do trabalhador, como a licença maternidade.

Dentro disso, podemos citar como as causas mais comuns do absenteísmo:

  • problemas pessoais;
  • desmotivação causada por longas jornadas, insalubridade ou baixa remuneração;
  • estresse no trabalho, que pode ser causado por problemas pessoais ou relacionados à função desempenhada na empresa;
  • conflitos com os colegas de trabalho;
  • líderes que não têm inteligência emocional para estar à frente de uma equipe;
  • ruídos na comunicação da empresa;
  • falta de feedback;
  • colaborador que, na realidade, não está alinhado ao fit cultural da empresa.

Como calcular a taxa de absenteísmo na empresa

Vamos a um exemplo prático: partindo do princípio de que a empresa tem cinco colaboradores, que trabalham 8 horas por dia, cinco dias na semana, em um mês com duração de quatro semanas.

O primeiro cálculo que deve ser feito é o de horas trabalhadas:

  • 8 horas x 5 dias x 4 semanas = 160 horas em um mês.

O próximo passo é somar atrasos, faltas e saídas antecipadas, começando pelas faltas. Se no mês em questão todos os colaboradores faltaram uma vez, é preciso transformar essa falta em horas.

  • 5 colaboradores x 1 dia = 5 dias faltados;
  • 5 dias faltados x 8 horas de trabalho diárias = 40 horas perdidas.

Então, é a vez de transformar os minutos em horas. Se dois colaboradores atrasaram 30 minutos durante todo o mês, esse é o cálculo que deve ser feito:

  • 2 colaboradores X 30 minutos por pessoa = 60 minutos de atraso por mês, ou seja, 1 hora de atraso na equipe.

Somando o número de horas faltadas com os atrasos, temos o total de 41 horas perdidas no mês. Ao dividir esse número pelas 160 horas que descobrimos no início do cálculo, chegaremos à taxa de absenteísmo mensal.

Mas atenção: antes disso, é necessário multiplicar essas horas por 100. Confira o cálculo final:

  • 160 horas X 100 = 1600 horas;
  • 41 horas perdidas / 1600 horas = 0,025;
  • 0,025 x 100 = 2,5% de absenteísmo ao mês.

Como o gestor de pessoas pode monitorar esse índice

No contexto corporativo, quanto menor for o índice de absenteísmo, melhor. Isso significa que sempre é possível trabalhar para melhorar essas questões, realizando o cálculo acima junto ao fechamento mensal da folha de pagamento.

Como reduzir o absenteísmo

Diante de tudo o que foi exposto até o momento, há diversas formas de adotar melhorias para reduzir a taxa de absenteísmo. Confira nossas sugestões.

Invista em um processo de recrutamento e seleção de qualidade

Os processos de recrutamento costumam ser bastante complexos por si só, mas merecem um investimento em tecnologia e metodologias que avaliem o fit cultural do candidato, fazendo com que a contratação seja precisa.

Quando a empresa não se preocupa em manter seus valores alinhados aos do candidato, a tendência é que ele vá perdendo o ânimo para trabalhar.

Melhore a comunicação interna

Muitas vezes, a comunicação interna não recebe a atenção que merece. O que muitos gestores não sabem é que práticas transparentes para o diálogo entre contratante e contratados facilitam o engajamento. Por consequência, evitam que o profissional se sinta desanimado ou estressado e acabe faltando por causa disso.

Murais de recados, o próprio sistema da empresa e até mesmo as redes sociais podem ser considerados canais eficientes.

Invista na qualidade de vida

O local de trabalho é a extensão da casa do trabalhador. É lá que essas pessoas passam a maior parte do seu dia, longe de suas famílias e dos momentos de lazer. É muito importante agir com humanidade e proporcionar momentos agradáveis aos profissionais dentro do ambiente de trabalho.

Oferecer condições de trabalho salubres é o mínimo que uma empresa deve fazer. Isso pode ser aliado aos investimentos em mecanismos que promovam o bem-estar — como ginástica laboral, alimentação saudável no restaurante ou concessão de benefícios, como dois ingressos para o cinema por mês e um bom plano de saúde.

Ofereça feedback de forma periódica

A política de feedback é mais do que mostrar aos colaboradores quais seus pontos fortes e fracos: é uma prática fundamental para a composição de um time de colaboradores satisfeitos. Ainda mais quando vem acompanhada de um plano de carreira ou de políticas de incentivo.

Saber o que a empresa acha sobre o seu desempenho e que é possível chegar a algum lugar por meio dele é um dos mais eficientes agentes motivadores. Um colaborador de olho em melhores oportunidades, dificilmente, vai perder uma boa chance se ausentando repetidas vezes.

Esperamos que tenha ficado claro o que é absenteísmo. Agora, é só calcular essa taxa a cada mês e adotar boas práticas para diminuir essa porcentagem. De quebra, você conquista uma equipe mais produtiva, engajada e satisfeita com o ambiente de trabalho, o que pode se refletir em ótimos resultados.

Aproveite para conferir essas dicas para retenção de talentos e faça da sua empresa uma referência na gestão de pessoas.