O que significa coparticipação?

#Sem categoria

Banner principal

por webfoco

A coparticipação em planos de saúde é uma ideia relativamente nova. Surgiu por dois motivos principais: reduzir o preço das mensalidades dos pacotes e diminuir a utilização inadequada deles. Para quem procura um convênio mais em conta, pode ser uma opção interessante, seja para planos de saúde empresariais ou individuais.

Parece que deu certo. Atualmente, cerca de 50% dos planos de saúde no Brasil apresentam coparticipação, segundo a Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS). Que tal entender como o modelo funciona na prática?

Entenda o que é coparticipação em plano de saúde

Se formos diretos ao dicionário, coparticipação significa a ação de participar com alguém em algo. Um pouco confuso, não? Então vamos falar especificamente da questão do plano de saúde.

Conforme a ANS, coparticipação é o valor que o beneficiário de um plano de saúde paga para a operadora após utilizar um procedimento, como consultas e exames. É por esse motivo que os pacotes com coparticipação são mais baratos do que os convencionais.

Por outro lado, há custos inesperados, os pagamentos mensais dos planos podem variar mês a mês e até acontece o adiamento de consultas e exames. Nesse momento entra em ação o corretor de plano de saúde empresarial ou individual, que avalia cuidadosamente as necessidades e orienta a contratação.

Normas da ANS quanto à cobrança de planos com coparticipação

Com base na regulamentação, o valor pago pela coparticipação pode ser fixo ou então uma porcentagem do procedimento feito. Seja para qualquer opção, como planos de saúde para empresas. Só não é permitido ser maior que a mensalidade do plano e/ou as doze parcelas do ano. Inclusive, a porcentagem máxima para exames e consultas é de 40% e, em caso de pronto-socorro, 50%.

Planos de saúde com coparticipação são melhores?

Uma boa pergunta, mas sem resposta definitiva. Depende muito. A coparticipação é vantajosa para quem não utiliza com frequência seu plano de saúde com consultas ou exames. Também não necessita de acompanhamento médico-hospitalar mensal ou periódico. Em resumo, para indivíduos que não possuem problemas crônicos de saúde.

Se você está grávida, tem bebê e/ou criança pequena, está em tratamento para doenças específicas ou é idoso, não é indicado. Já que, nessas situações, sempre utilizamos os benefícios incluídos no pacote.

E aí, está na dúvida sobre contratar um plano de saúde com ou sem coparticipação? Chame a Piwi, corretora de saúde referência no mercado.